Início » Sem categoria » Sobre a Liberdade | John Stuart Mill

Sobre a Liberdade | John Stuart Mill

Book

“It is to be hoped that there is no longer any need to defend the ‘liberty of the press’ as one of the protections against corrupt or tyrannical government.”

 Parece impossível que Stuart Mill (1806-1873) tenha escrito esta sua obra “On Liberty” em 1859. Elaborada após o falecimento da mulher e a ela dedicada de modo eloquente.

Já passaram dois séculos e ainda hoje muitas das matérias representam a atualidade. Parece a obra de um visionário de tal maneira as ideias explanadas e desenvolvidas são assuntos ainda hoje constantemente abordados, que nos afetam e geram debate.

O cerne da comunicação nesta obra prende-se com a necessidade de haver debate de ideias, de existirem várias opiniões. Nunca saberemos se a nossa realidade não poderá ser ainda mais verdadeira se não a confrontarmos com outra. Não existe vantagem em comunicar unicamente o erro sem comunicar também a verdade. O erro confirma, melhora e complementa a verdade. São inerentes e necessários. Só o conhecimento de um permite a afirmação do outro.

Este debate, esta compreensão só se atinge com a existência de liberdade de expressão total. Sem que, no entanto, possa existir invasão do espaço do outro, o que unicamente será permitido em casos de notória falta de faculdades ou caso envolva crianças.

“Your rights end where his nose begins”

É o enfatizar da liberdade individual e a exigência de que temos de fazer uso dela em detrimento da imposição social de que todos devemos andar a um mesmo ritmo sem considerar mudanças. Devemos questionar sem aceitar o que nos é proporcionado pelos nossos antecedentes. As nossas capacidades vão muito além da imitação.

A opressão da sociedade em relação à individualidade e a falta de reação poderá conduzir a países formatados e constituídos por rebanhos de ovelhas, que mesmo assim, segundo afirma Stuart de Mill, poderão ter mais capacidade de raciocínio que nós.

“Human beings are not like sheep; and even sheep are not undistinguishably alike”

Para quem ficou confundido e curioso sobre toda esta temática, aconselho vivamente a leitura do livro e até vos deixo o link da obra na sua versão original.

Para mim, que fiquei surpreendida e interessada, o próximo será:

foto2

Links: http://www.gutenberg.org/files/34901/34901-h/34901-h.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s